quinta-feira, 3 de outubro de 2013

O Cachimbo da Paz



Esta história aconteceu em uma tribo, em plena floresta amazônica. Um dos membros da tribo procurou o pajé, para lhe dizer que estava muito furioso e decidido a vingar-se de um inimigo que o tinha ofendido gravemente. Pensava em matá-lo, pois esse era o costume nas tribos.

O pajé ouviu-o atentamente e disse que ele tinha razão. Foi ofendido gravemente e, como era costume ns tribos, podia vingar-se matando seu inimigo. Antes disso, porém, o pajé convidou-o a fumar com ele um cachimbo. O homem aceitou, e ficaram quase uma hora a conversar e fumar juntos o cachimbo.

Ao final dessa hora, o homem já estava mais calmo e disse ao pajé:

_ Acho que não vou matar meu inimigo. Não é preciso, uma boa surra já vai fazê-lo aprender a lição.

Para comemorar a decisão do homem, o pajé convidou-o a ficar mais um tempo por ali e a fumar um novo cachimbo. Afinal, era uma vida que ele salvara. E assim aconteceu.

depois de mais uma hora ali a fumar e conversar calmamente, o homem disse:

- Sabe que uma surra talvez seja exagero. Vou apenas dizer tudo o que penso e fazê-lo pedir perdão em público para corrigir seu erro.

O pajé aprovou a atitude e, para celebrar, acendeu mais um cachimbo. Os dois passaram mais uma hora em meditação, fumando o cachimbo da paz.

Quando terminou, disse novamente ao pajé:

- Pensando melhor, irei até o meu agressor e lhe darei um forte abraço, afinal, sempre fomos grandes amigos, e ele se arrependeu da ofensa que fez. Eu o perdoo, e seremos amigos de novo.

Nesse instante, o pajé falou, sorridente:

- Era exatamente esse conselho que queria lhe dar quando chegou aqui, mas não podia fazê-lo. Era preciso que você se acalmasse e descobrisse o caminho após um tempo de meditação.

Para refletir

Quando temos uma decisão importante para tomar, o melhor a fazer é meditar muito e manter a calma. Quando decidimos algom com a cabeça quente ou sob forte pressão, é comum cometermos erros graves. O pio é que esses erros podem não ter volta e no final nos arrependermos. Procure aprender a amadurecer com essas situações de conflito. Isso exigirá calma e reflexão, mas ajudará muito no seu crescimento pessoal.

Tenha cuidado para não cometer nenhuma injustiça por agir sem pensar. Quando sentir raiva, ódio, tristeza ou sofrimento profundo, pare e pense em tudo o que está envolvido. Passeie ou converse com alguém se for preciso, mas tome a decisão apenas depois de meditar bastante. Por mais que você tenha razão, não procure a vingança, nem magoe a outra pessoa. Não vale a pena. Lembre-se sempre do cachimbo da paz e do sábio ensinamento do pajé.

Uma amizade ou relacionamento afetivo vale muito; por isso, pondere e veja se não é melhor perdoar e reatar os laços que unem você e outra pessoa, ao invés de procurar uma vingança que no final não levará a lugar nenhum e causará mais dor e sofrimento para ambos.

Como costumo resolver os meus problemas e conflitos pessoais? É comum eu sentir raiva e querer vingar-me quando sou ofendido? Tenho um "pajé" a quem recorrer para pedir conselhos? Quem poderia ser um? Como o conselho de um amigo pode nos ajudar? O que pode funcionar na minha vida como um "cachimbo da paz"? Por quê?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Que o caminho seja brando a teus pés,
o vento sopre leve em teus ombros,
Que o sol brilhe cálido sobre sua face,
as chuvas caiam serenas em teus campos.
E até que eu de novo te veja,
Deus te guarde na palma de sua mão"

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...