quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Por que o crucifixo?


Nos dias atuais estamos tão preocupados com o aquecimento global, a ponto de não percebermos as lufadas de ventos gélidos que varrem os céus da nossa fé. Agora, o crucifixo na sala do Supremo Tribunal Federal está incomodando as mentes laicas.

Causa vertigens aos espíritos “abertos” e democráticos, a presença de um crucifixo numa sala de aula, de resto, muitas vezes,  cheia de símbolos orientais (viva a Índia). Não tenho a capacidade de derrubar os preconceitos, fornecidos pelo “imperativo herético”, que tomou conta de muitas mentalidades.

Mas tenho algo a dizer para as pessoas que buscam as razões de muitas belas tradições, que ficaram ofuscadas pela avalanche da modernidade. Ela deseja tudo deletar, e buscar novas referências, que nada tem a ver com nossas raízes históricas.

Antes de tudo quero tranqüilizar pessoas que se sentem desinquietas diante do símbolo do crucificado. Ele não se encontra aí, para dar a presença da religião católica, nem para honrar o fundador de uma religião, em detrimento de tantos fundadores de outras denominações religiosas. Sua presença é a exposição do ponto alto da humanidade.

Cristo é o que de mais nobre e sublime apareceu na humanidade. Ninguém teve um ensinamento tão perfeito, e um comportamento tão humano e irrepreensível. Isso é reconhecido, com sinceridade, por muitos filósofos agnósticos do século XIX, e também do século XX. São Pedro já havia sintonizado com tal assertiva, ao dizer: “Só Tu tens palavras de vida eterna” (Jo 6, 68).

Não existe pessoa mais importante do que Jesus. Quanto à presença do Crucificado nos tribunais, é para levar juízes, promotores, advogados e jurados a adotarem a justiça, mesclada com a misericórdia. É que Ele já pagou a parte principal da culpa. A presença do Salvador lembra que “nos dias maus não alcançará misericórdia, aquele que não usou de misericórdia” (Mt 5, 7).

E nas escolas, a nossa juventude encontrará estímulo para procurar a vitória contra as tendências negativas e contra a falta de esperança, porque Cristo, o Crucificado, obteve a vitória mais completa sobre o mal. Alguém consegue apresentar símbolo melhor?

Dom Aloísio Roque- Arcebispo de Uberaba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Que o caminho seja brando a teus pés,
o vento sopre leve em teus ombros,
Que o sol brilhe cálido sobre sua face,
as chuvas caiam serenas em teus campos.
E até que eu de novo te veja,
Deus te guarde na palma de sua mão"

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...